Histórias que Ensinam Valores

Just another WordPress.com weblog

Histórias que ensinam valores 5

Continuação de Moral da história 3.

História 41

História (com final terrível) que ensina o valor da amizade e da confiança

Raposa

Existiu um Lenhador que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.

Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.

Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.

Os vizinhos do lenhador alertavam que a Raposa era um bicho, um animal selvagem; e portando, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança.

O lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.

Os vizinhos insistiam: – “Lenhador abra os olhos ! A raposa vai comer seu filho.” – “Quando sentir fome, comerá seu filho!”

Um dia o lenhador muito exausto chegou do trabalho e foi recebido pela raposa, que foi recebê-lo saindo do quarto da criança. Ela sorria como sempre, mas sua boca estava totalmente ensangüentada … O Lenhador suou frio e, sem pensar duas vezes, acertou o machado na cabeça da raposa…

Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta … O lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos…

Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar…, mas principalmente nunca tome decisões precipitadas…

.

1- O lenhador confiava na raposa? O que leva você a pensar assim?

2- O que teria levado o lenhador a matar a raposa?

3- O terrível final de história quer nos ensinar o que?

Do site: http://www.mormons.com.br

Site com numerosas belíssimas histórias. Deixe de preconceito e vá lá lê-las!

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

História 42

História que ensina o valor da educação, da sabedoria e da sensibilidade (e o valor de saber “ouvir o inaudível”)

Essa historieta também está no site  http://www.mormons.com.br/

1) Qual era a preocupação inicial do rei?

2) O que o mestre procurava ensinar ao príncipe?

3) A princípio o príncipe gostou dos ensinamentos? Por que?

4) Ao final o príncipe ficou feliz com o que aprendeu? Por que? O que ele aprendeu afinal?

5) Você é capaz de “ouvir o inaudível” ? Quais características deve ter uma pessoa para conseguir isso?

6) Você acha que esse ensinamento só é útil para líderes? Por que?

__________________________________________________________________________________________________________________________________

História 43

História (mensagem) que ensina o valor de uma boa educação. O valor de uma educação humanista e cristã.

.                                               Se

    Se as crianças vivem com críticas,Elas aprendem a condenar.
    Se as crianças vivem com hostilidade, Eles aprendem a lutar.
    Se uma criança vive com zombarias, Eles aprendem a ser tímidas.
    Se as crianças vivem com vergonha, Eles aprendem a se sentir culpado
    Se as crianças vivem com tolerância, Eles aprendem a ser paciente.
    Se uma criança vive com incentivo, Eles aprendem a confiança.
    Se as crianças vivem com elogios, Eles aprendem a apreciar.
    Se as crianças vivem com justiça, Eles aprendem justiça.
    Se as crianças vivem com segurança, Eles aprendem a ter fé.
    Se as crianças vivem com aprovação, Eles aprendem a gostar de si.
    Se uma criança vive com aceitação e amizade, Eles aprendem a encontrar amor no mundo.
    .
      do site  católico

http://www.frtommylane.com/stories/children/raising_children.htm

    1) Se todos concordam com o poema, por que será que as crianças não são educadas como mostrado?
    2) Os últimos sete versos falam de modos bons de viver, que ensinariam bons valores às crianças. Você considera um deles (ou mais de um) difícil de por em prática? Qual seria? Por que ele é difícil de praticar?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

História 44

História que ensina o valor da simplicidade para alcançar a Deus

.

.                                                                                      Kevin

Meu irmão Kevin acha que Deus vive debaixo da cama. Pelo menos é isso que eu o ouvi dizer uma noite. Ele estava rezando em voz alta em seu quarto escuro, e eu parei de fora de sua porta fechada para escutar. “Você está aí, Deus?”, disse.”Onde está você? Oh, eu vejo. Sob a cama. ” Eu ri baixinho e na ponta dos pés fui para o meu próprio quarto.  As perspectivas  de Kevin são únicas e  frequentemente divertidas. Mas essa noite percebi algo mais consistente; algo que ia além do humor. Percebi pela primeira vez o mundo muito diferente em que Kevin vive.

Ele nasceu há 30 anos, deficiente mental, como resultado de dificuldades durante o parto. Além de seu tamanho (ele tem um metro e oitenta), há poucas atitudes em que ele se parece com um adulto. Ele raciocina e se comunica com os recursos de uma criança de sete anos que ele sempre será. Ele provavelmente vai sempre acreditar que Deus vive debaixo da cama, que o Papai Noel é aquele que preenche o espaço debaixo da nossa árvore, em cada Natal, e que os aviões conseguem ficar no céu porque os anjos os carregam.

Lembro-me de ter perguntando a Kevin se ele se percebe como diferente. Será que ele não fica insatisfeito com sua vida monótona? Levantar antes do amanhecer; sair para trabalhar em uma oficina para deficientes; caminhar com o nosso cocker spaniel; voltar para comer o seu macarrão com queijo favorito no jantar e mais tarde ir para a cama. A única variação em todo o esquema são os dias de lavanderia, quando ele paira animadamente sobre a máquina de lavar roupa, como uma mãe com seu filho recém-nascido.

Ele não fica insatisfeito em momento algum. Ele corre para o ônibus todos os dias às 7:00, ávido por um dia de trabalho simples. Ele torce as mãos com entusiasmo, enquanto a água ferve no fogão antes de jantar, e ele fica acordado até tarde duas vezes por semana para reunir a nossa roupa suja para as tarefas do dia seguinte: lavar as roupas.

E aos sábados, oh, a felicidade de sábado! Esse é o dia que meu pai leva Kevin ao aeroporto para tomar uma bebida suave, assistir da terra os aviões, e especular em voz alta sobre o destino de cada passageiro. “Aquele é vai para Chicago!” Kevin escuta e bate palmas. Sua expectativa pelo sábado é tão grande que ele mal pode dormir em noites de sexta-feira. Eu não acho que Kevin sabe que algo exista fora de seu mundo, de seus rituais diários e de suas viagens de fim de semana. Ele não sabe o que significa ficar descontente. Sua vida é simples.

Ele nunca vai conhecer a atração da riqueza ou do poder.  Ele não se importa que tipo de roupa que ele usa ou que tipo de comida que ele come. Ele não reconhece diferenças entre as pessoas, tratando cada pessoa como um igual e um amigo. Suas necessidades sempre foram supridas e ele nunca se preocupa que um dia elas podem não ser. Suas mãos são diligentes.

Kevin nunca é tão feliz como quando ele está trabalhando. Quando ele descarrega a máquina de lavar louça ou limpa os tapetes, seu coração está completamente nele. Ele não recua diante de um trabalho quando é iniciado, e ele não sai de uma tarefa até que esteja terminada. Mas quando suas tarefas são feitas, Kevin sabe relaxar. Ele não está obcecado com seu trabalho ou o trabalho dos outros.

Seu coração é puro. Ele ainda acredita que todos dizem a verdade, as promessas devem ser mantidas, e quando você está errado, você se desculpar, em vez de discutir. Livre de orgulho e despreocupado com as aparências, Kevin não tem medo de chorar quando ele está ferido, irritado ou triste Ele é sempre transparente, sempre sincero. E ele confia em Deus. Não se restringe pelo raciocínio intelectual, quando ele vem para Cristo, ele vem como uma criança.

Kevin parece conhecer a Deus – para ser realmente amigo dele de uma forma que é difícil para uma pessoa “educada” entender. Deus parece ser seu companheiro mais próximo. Nos meus momentos de dúvida e frustração com a minha fé, eu invejo a segurança que Kevin tem em sua fé simples. Nesses momentos estou mais disposto a admitir que ele tem algum conhecimento divino que se eleva sobre as minhas perguntas de simples mortal.

Então eu percebi que Kevin não está em desvantagem. Eu estou. Minhas obrigações, o meu medo, meu orgulho a minha situação – todos eles se tornam mais negativos pois têm me afastado de Cristo. Quem sabe se Kevin compreende coisas que eu nunca posso aprender? Afinal, ele passou sua vida inteira no mesmo tipo de inocência, rezando depois do anoitecer e absorvendo a bondade e o amor do Senhor. E um dia, quando os mistérios dos céus estiverem abertos, e todos nós formos  surpreendidos com o quão perto dos nossos corações está realmente Deus, eu vou perceber que Deus ouviu as orações simples, de um menino que acreditava que Deus vivia debaixo da cama. Kevin não vai ficar surpreso.

.

1) Caracterize Kevin.

2) Como normalmente o mundo recebe e trata as pessoas como Kevin?

3) O que Deus espera dos homens?

4) O que aproxima Kevin de Deus?

5) Você valoriza aquelas coisas que Deus mais quer dos homens?

6) Escreva com suas palavras a conclusão dessa história.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

História 45

História que ensina o valor das boas companhias

.                                                                             O Fazendeiro e a cegonha

Achando que corvos estavam destruindo o milho recém plantado de sua fazenda, um agricultor, certa noite, distendeu uma rede em seu campo como uma armadilha para apanhar os destrutivos pássaros. Na manhã seguinte ele foi examinar o resultado. Ele encontrou preso à rede um grande número de corvos e também uma cegonha. “Liberte-me, peço-te”, gritou a cegonha, “pois não comi milho algum de sua plantação, nem fiz nenhum mal. Eu sou uma pobre e inocente cegonha, como você pode ver. Sou um pássaro muito obediente. Eu honro meu pai e minha mãe. Eu. .. ” Mas o agricultor retirou-lhe a palavra. “Tudo isso pode ser verdadeiro, eu diria, mas eu te peguei junto com pássaros que estavam destruindo a minha plantação e você deve sofrer com o grupo com o qual você foi encontrado. “

As pessoas são julgadas pelas sociedades que mantêm.

1) A cegonha estava ajudando a destruir a plantação do fazendeiro?

2) Por que será que a cegonha foi pega pela rede do fazendeiro juntamente com os corvos?

3) O que será que o fazendeiro pensou no seu íntimo?

4) Por que a cegonha foi castigada?

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________-

História 46

História que ensina o valor da gratuidade do amor

.                                                                                                 Tabelas de Preços

Um menino aproximou-se de sua mãe à noite na cozinha, enquanto ela fazia o jantar e entregou a ela um pedaço de papel que ele tinha  escrito. Depois que sua mãe secou as mãos em um avental, ela leu:

Para cortar a grama: R $ 5,00

Para limpar meu quarto esta semana: R $ 1,00

Para ir até a loja para você: $ 0,50

Para tomar conta do meu irmãozinho enquanto você vai às compras: $ 0,25

Retirar o lixo: R $ 1,00

Para obter um cartão da bolsa família: R $ 5,00

Para limpar e varrer o quintal: R $ 2,00 Total a pagar: $ 14,75

A mãe olhou para o filho e o menino pode ver os olhos de sua mãe brilhar. Ela pegou a caneta, virou-se sobre o papel em que ele fizera a “tabela de preços” e escreveu isso:

Para os nove meses que eu carreguei você enquanto estava crescendo dentro de mim: Nada.

Por todas as noites que eu sentei com você, te mediquei e orei por você: Nada.

Por todas as vezes tentei em vão, e todas as lágrimas que  derramei ao longo dos anos: sem custos adicionais.

Por todas as noites cheias de medo, e para as preocupações que eu sabia que estavam à frente: Nada.

Para os brinquedos, alimentos, roupas e até mesmo limpando o nariz: Nada.

Quando você adiciona-lo, o custo do meu amor é: Nada.

Quando o menino terminou de ler o que sua mãe tinha escrito, havia lágrimas nos seus olhos, e ele olhou para cima com a mãe e disse: “Mãe, tenho certeza que te amo.” E então ele pegou a caneta e, em grandes letras, ele escreveu: “Totalmente pago.”

1) O que será que o menino pensou ao apresentar a tabela de preços para sua mãe?

2) O que enchia alista do filho? E o que enchia a lista da mãe?

3) O que tem grande valor para nós? Tudo afinal tem um preço?

4) Qual é a moral dessa história?

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________-

História 47

História que ensina o valor das crianças e  do futuro. Da reflexão e do amor.

.                                                                              Crianças trazem paz

O Presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, do Egito,  Anwar Sadat e o Primeiro Ministro de Israel, Menachem Begin  se reuniram em Camp David em 1978, para discutir a paz entre Israel e  Egito, que viviam em estado de guerra.

O Presidente Anwar Sadat, aprovou uma proposta de paz , mas ela foi  rejeitada Pelo Primeiro-Ministro israelense Begin. Havia um impasse. Os três, depois de muitos debates, cansados  e emocionalmente esgotados, estavam conformados em  partir,  mesmo sem qualquer acordo de paz.

Quando o presidente Carter e o primeiro-ministro Begin já estavam preparados para irem embora eles se lembraram que tinham anteriormente acordado em assinar algumas fotos para as respectivas famílias. Eles se reuniram na varanda da frente da cabine do primeiro-ministro Begin para a assinatura. O Presidente Carter pediu para que o colega dedicasse a foto para seu filho, para fazer da lembrança algo mais pessoal. O primeiro-ministro Begin assim fez e pediu que o presidente dos EUA fizesse o mesmo. Em seguida, o presidente Carter decidiu mostrar as fotos de seus netos e descrever a personalidade de cada um, o primeiro-ministro Begin fez o mesmo. Enquanto eles se olhavam as lágrimas encheram seus olhos fotos. Que tipo de mundo seria aquele em que seus netos cresceriam? O primeiro-ministro Begin voltou para sua cabine e reapareceu depois de cinco minutos pedindo para estudar a proposta de paz mais uma vez.

E o acordo foi assinado.

.

Graham Johnston cita o próprio presidente Carter como fonte dessa história.

.

1) Procure se informar sobre a rivalidade entre Egito e Israel e sobre as guerras que já travaram.

2) O que teria feito o primeiro ministro de Israel mudar de idéia?

3) Quem são os responsáveis pela paz e pela guerra?

4) Quem você acha que mais sofre num período de guerra?

5) Qual  conclusão (ou conclusões)  que você tira desse relato?

_________________________________________________________________________________________________________________________________

História 48

História que ensina o valor da persistência (perseverança). O valor de saber enxergar além!

.                                                           Não desista, continue dirigindo

Um dia uma jovem estava dirigindo com o pai. Eles estavam sob forte tempestade, a jovem perguntou ao pai: “Que devo fazer?”

O pai disse: “Continue a conduzir”.  O carro começou a puxar para o lado, a tempestade estava ficando pior.

“O que devo fazer?” A moça perguntou novamente?

“Mantenha a condução”, respondeu o pai.

Alguns metros adiante ela notou que grandes caminhões de  dezoito rodas estavam parando. Ela contou ao seu pai, “eu devo parar, eu mal posso ver à frente. Está terrível e todo mundo está parando!”

Seu pai lhe disse: “Não desista, continue dirigindo!”

Agora a tempestade estava terrível, mas ela não parou de dirigir e logo ela pôde ver um pouco mais claramente. Depois de um par de quilômetros, ela estava em terra seca e um sol firme brilhava.

Seu pai disse: “Agora você pode encostar e sair.”

A jovem senhora disse: “Mas por que agora?”

Seu pai disse: “Quando você sair, olhe para trás  e verá que todas as pessoas que desistiram  ainda estão na tempestade, porque você não desistiu, para você a tempestade acabou.”

.

1) Por que a moça queria encostar o carro?

2) O que o pai aconselhou que ela fizesse?

3) O que será que o pai sabia que a moça não imaginava?

4) Qual é a grande lição dessa historieta?

______________________________________________________________________________________________________________________________

História 49

História que ensina o valor da ajuda e do esforço próprio.


Lição do Mestre

O mestre zen encarregou o discípulo de cuidar do campo de arroz.  No primeiro ano o discípulo vigiava para que nunca faltasse a água necessária.  O arroz cresceu forte e a colheita foi boa.  No segundo ano, ele teve a idéia de acrescentar  um pouco de fertilizante.  O arroz cresceu rápido e a colheita foi maior.  No terceiro ano, ele colocou mais fertilizante.  A colheita foi maior ainda, mas o arroz nasceu pequeno e sem brilho.  Se continuar aumentando a quantidade de adubo, não terá nada de valor no ano que vem, disse o mestre.  Você fortalece alguém quando ajuda um pouco.  Mas você enfraquece alguém, se ajuda muito.

.

1) Explique as razões das diferenças entre as três colheitas conseguidas pelo discípulo.

2) O que afinal causou a perda de qualidade da última colheita?

3) Podemos concluir que as ajudas prestadas às pessoas são sempre prejudiciais a elas?

4) Qual é a moral dessa história?

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

História 50

História que ensina o valor do esforço, da quebra da rotina instalada


A Vaquinha

Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo quando avistou ao longe um sitio de aparência pobre e resolveu fazer uma breve visita. Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando, constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeira, os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas rasgadas e sujas. Então se aproximou do senhor, aparentemente o pai daquela família, e perguntou: -Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como o senhor e a sua família sobrevivem aqui?
E o senhor calmamente respondeu: -Meu amigo, nos temos uma vaquinha que nos da vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros de alimentos e a outra parte nos produzimos queijo, coalhada, etc. para o nosso consumo e assim vamos sobrevivendo.

O sábio agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, depois se despediu e foi embora. No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou: -Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e empurre-a, jogue-a lá em baixo.
O jovem arregalou os olhos, espantado e questionou o mestre sobre o fato da vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família, mas, como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem. Assim empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.

Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns anos e um belo dia ele resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar naquele mesmo lugar e contar tudo aquela família, pedir perdão e ajuda-los. Assim fez, e quando se aproximava do local avistou um sitio muito bonito, com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou triste e desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver. Apertou o passo e chegando lá, logo foi recebido por um caseiro muito simpático e perguntou sobre a família que ali morava ha uns quatro anos e o caseiro respondeu: -Continuam morando aqui.

Espantado ele entrou correndo na casa e viu que era mesmo a família que visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha): -Como o senhor melhorou este sitio e está muito bem de vida?

E o senhor entusiasmado, respondeu: -Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Dai em diante tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades, que nem sabíamos que tínhamos. Assim alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora.

.

Ponto de Reflexão – Todos nos temos uma vaquinha que nos dá alguma coisa básica para sobrevivência e uma convivência com a rotina. Descubra qual e a sua. Aproveite a entrada de um novo dia, ou de um ano novo para empurrar sua “vaquinha” morro abaixo.

.

1) Para que mestre e discípulo visitavam as famílias?

2) Como vivia a família dona da vaquinha?

3) O que o mestre pediu ao discípulo que fizesse com a vaquinha? Por que o discípulo se escandalizou?

4) O que o discípulo foi fazer ao visitar a família pela segunda vez?

5) Como ele encontrou a família? Ela estava melhor ou pior do que antes do ponto de vista material?

6) Por que afinal a família melhorou de vida?

7) A vaquinha afinal era um mal em si?

Qual relação esta história guarda com a anterior?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________-


19 Respostas to “Histórias que ensinam valores 5”

  1. rafaela cardoso said

    muitas histórias bonitas e emocionantes d+++

  2. nossa muitas historia bonitas parabens

  3. Maria do Rosário said

    Acredito que podemos ensinar valores para nossas crianças por meio de histórias. Sou professora e não perco uma oportunidade.

    • mileumlivros said

      Olá, Maria do Rosário. Saudações.
      Meus parabéns pelo trabalho. Também sou professor e faço a mesma coisa. Tudo de bom.
      Abraço.
      Eugênio.

      • Maria said

        Estou fazendo, com os meus alunos, um trabalho sobre sustentabilidade e alteridade. Estou aproveitando as histórias quando falo de alteridade, uma condição de se colocar no lugar do outro.

      • mileumlivros said

        Olá, Maria. Saudações.
        Também trabalho com elas vez por outra. E olha que eu sou professor de Geografia… Quando avalio que a turma está precisando trabalhar certos valores, não abro mão de tentar ajudar.
        Parabéns pelo trabalho.
        Abraço.
        Eugênio.

  4. Jéssyka said

    Excelente! Histórias que nos fazem refletir são as melhores. Meus alunos irão amar!

  5. Laura Dias de Camargo Bueno said

    Adorei as histórias, pois através delas darei continuidade ao projeto na minha escola e deixarei-o mais enriquecido.

  6. ivania said

    Fiquei emocionada ao ler essas histórias. Nos possibilita a refletirmos melhor antes de tomar decisões precipitadas.

  7. iris said

    Historias muito boas e dinamicas. Parabens!

  8. Nossa ! Realmente são valores que devem permanecer…

  9. maria eduarda said

    oi sou maria eduarda e o cadu gostamos muito da historia da vaquinha foi muito legal!!!!!!!!!!!!!

    • mileumlivros said

      Obrigado, Maria Eduarda!
      Obrigado, Cadu!
      E por que foi legal?
      Vocês já empurraram suas vaquinhas morro abaixo?
      Tudo de bom.
      Eugênio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: